Social Icons

twitterfacebookShalomvaticanorss feedemail

27 de setembro de 2010

O Pequeno Passarinho


“O passarinho quereria voar para o Sol brilhante que lhe fascina o olhar; quereria imitar as Águias, suas irmãs, que vê elevarem-se até ao fogo divino da Santíssima Trindade... Pobre dele! tudo quanto pode fazer é agitar as suas pequenas asas; mas levantar voo, isso não está no seu pequeno poder! Que será dele? Morrerá de desgosto, ao ver-se impotente?... Oh, não! o passarinho nem sequer se vai afligir. Com um audacioso abandono, quer ficar a fixar o seu divino Sol. Nada seria capaz de o assustar, nem o vento nem a chuva; e se nuvens sombrias chegam a esconder o Astro do Amor, o passarinho não muda de lugar, pois sabe que para além das nuvens o seu Sol brilha sempre, e que o seu brilho não se poderia eclipsar nem por um instante sequer.

É verdade que às vezes o coração do passarinho se vê acometido pela tempestade; parece-lhe não acreditar que existe outra coisa, a não ser as nuvens que o envolvem. É então o momento da alegria perfeita para a pobre e débil criaturinha. Que felicidade para ela, permanecer ali, apesar de tudo, e fixar a luz invisível que se esconde à sua fé!!!...

Jesus, até agora compreendo o teu amor para com o passarinho pois ele não se afasta de Ti. Mas eu sei, e Tu também o sabes, muitas vezes a imperfeita criaturinha, ficando embora no seu lugar (isto é, sob os raios do Sol), deixa se distrair um pouco da sua única ocupação; apanha um grãozito à direita e à esquerda, corre atrás de um vermezito... Depois, encontrando uma pocita de água, molha as penas ainda mal formadas; quando vê uma flor que lhe agrada o seu espírito entretém-se com essa flor... Enfim! não podendo pairar como as Águias, o pobre passarinho entretém-se ainda com as bagatelas da terra. Não obstante, depois de todas as suas travessuras, em vez de se ir esconder num canto para chorar a sua miséria e morrer de arrependimento, o passarinho volta-se para o seu Bem amado Sol, expõe as asitas molhadas aos seus raios benfazejos, geme como a andorinha e, no seu doce cantar, confia, conta em pormenor as suas infidelidades, pensando, no seu temerário abandono, conseguir assim maior influência e atrair mais plenamente o amor d’Aquele que não veio chamar os justos mas os pecadores... Se o Astro Adorado continuar surdo ao chilrear plangente da sua criaturinha, se permanecer velado..., pois bem: a criaturinha continua molhada, aceita ficar transida de frio, e ainda se alegra com esse sofrimento que, aliás, mereceu...

Ó Jesus! como o teu passarinho está contente por ser débil e pequeno. Que seria dele se fosse grande?... Nunca teria a audácia de aparecer na tua presença, de dormitar diante de Ti... Sim, aí está mais uma fraqueza do passarinho: quando quer fixar o Divino Sol, e as nuvens o impedem de ver um único raio, contra sua vontade os seus olhitos fecham-se, a sua cabecinha esconde-se debaixo da asita, e a pobre criaturinha adormece, julgando fixar ainda o seu Astro Querido. Ao acordar, não fica desolado, o seu coraçãozinho fica em paz, e recomeça o seu ofício de amor. Invoca os Anjos e os Santos que se elevam como Águias em direcção ao Fogo devorador, objecto do seu desejo.

E as Águias, compadecendo-se do seu irmãozinho, protegem-no, defendem-no, e põem em fuga os abutres que o queriam devorar. Os abutres, imagem do demónio, o passarinho não os teme, pois não está destinado a ser presa deles, mas da Águia que contempla no centro do Sol do Amor.

Por tanto tempo quanto quiseres, ó meu Bem-amado, o teu passarinho ficará sem forças e sem asas; permanecerá sempre com os olhos fixos em Ti. Quer ser fascinado pelo teu divino olhar, quer tornar se a presa do teu Amor... Um dia, assim o espero, Águia adorada, virás buscar o teu passarinho e, subindo com ele para o Fogo do Amor, mergulhá lo ás eternamente no ardente Abismo desse Amor, ao qual se ofereceu como vítima...”


Santa Teresinha (História de uma Alma, Ms B 5rº-vº)

20 de setembro de 2010

Tipos de Cristãos

Com certeza, nos indentificaremos com algum tipo de cristão ou identificaremos algum.

Cristão de Nome

"Sou cristão, mas não gosto muito de dizer, afinal, religião é tão pessoal, você não concorda? E é também por esse motivo que não ando nem com a Bíblia, com a cruz ou com o terço. Sempre vou à missa quando alguém casa ou quando alguém morre, acho isso muito importante. Mas no domingo é queimação sair do churrasco e dizer que vou à Igreja. Não conheço muito esse “novo” Papa, mas acho que ele é meio antipático, li na revista que ele não é muito bom. Já me confessei na primeira eucaristia, mas nunca mais fiz isso de novo, afinal, esse negócio de pecado é tão relativo. Já fui ao grupo de oração do meu amigo, mas desisti. Mas preciso dizer que apesar de tudo isso tenho fé e que rezo sempre antes de dormir. Deus é tudo na minha vida! Só não tenho muito tempo pra essas coisas. Ainda bem que Ele me protege do mal mesmo assim, comprei até uma medalhinha benta e não tiro do pescoço. Minha família também é muito de Deus, na minha sala tem uma Bíblia daquelas enormes... só tá meio empoeirada, é verdade... Mas sempre rezamos antes da ceia de Natal, que por sinal tem uns 10 anos que não participo, sabe como é, feriadão... tenho que aproveitar minha juventude! É verdade que tem umas coisas meio exageradas, tipo o aborto, porque em alguns casos tem mesmo é que legalizar. E esse negócio de castidade é mais ultrapassado do que minha tia-avó que virou freira. Mas mesmo com esses detalhes, vou morrer sendo cristão, pois sem Deus, a gente não faz nada na vida."


Cristão Fujão


"Sou cristão de carteirinha. Todo mundo sabe disso e se não souber faço questão de dizer, se for preciso até grito. Vou à missa todos os dias e me confesso três vezes ao mês. Não suporto quando alguém blasfema perto de mim e fico irritado quando alguém me chama de beato. Já renunciei as festas do mundo e todas essas futilidades que passam. Só quero Deus. Não posso dar espaço à tentação, por isso, me visto de qualquer jeito e nem levanto a cabeça quando ando na rua. Não falo com quem não conhece a Cristo e não me sinto bem fora da Igreja. Sei a Bíblia decorada já pra evitar confusão. Toda conversa minha tem que falar de Deus, pois o mundo tá perto do fim e é preciso insistir até as pessoas acreditarem. Deus me livre numa hora dessas de deixar de viver a castidade, por isso, quase não me relaciono, é mais seguro assim. Só ouço música cristã e livros só entram na minha casa se forem de Deus também. Na televisão e na internet só tem coisa que não presta, por isso, quebrei a TV e vendi o computador. Só tô lendo o jornal porque enfim estou sem emprego agora e preciso procurar. Já tentei trabalhar em vários lugares, mas em todos sou perseguido por causa da minha crença. Não entendo porque me chamam de fanático e dizem que da minha religião não querem participar. Mas isso faz parte da perseguição que Cristo falou no Evangelho. Mas não vou mudar, vou ser cristão até o fim."

Só Cristão

"Conheci o amor de Deus e a minha vida mudou. Sou cristão e amigo de Jesus. Luto pra ser fiel à missa e à confissão. Tento falar de Deus através da minha vida, abrindo espaço através dela para poder evangelizar. Tô no mundo intensamente, mesmo sabendo que não pertenço a ele e que minha vida não acaba aqui. Vou à festa quando dá, tenho MSN, blog e twitter. Assisto TV e seleciono pra ver aquilo que não vai me ferir, afinal, sou obra prima de Deus e meu corpo é templo do Espírito Santo. Tenho muitos amigos e amo viver. Não deixo de viver para fugir da tentação, rezo pra poder vencê-la e quando vejo que eu caio, tenho pra onde voltar. Minha religião não é um peso e ser radical não é ser fanático, é ser como Jesus, não é a Ele quem o cristão deve seguir? Estou sempre me atualizando sobre o que acontece no mundo e acho que assim posso servir melhor a Deus. Rejeito o pecado, mas sei que devo amar o pecador. Procuro não julgar quem tá no erro para não perder tempo e tentar ajudá-lo mais. Aprofundei-me no conhecimento da minha doutrina, por isso respeito e amo a minha Igreja. Não me abalo com notícias escandalosas e como o Papa, reconheço quando os erros são cometidos. Tudo na sua devida proporção. Sou absolutamente contra o aborto e peço a Deus para que Ele me ajude a guardar minha virgindade até casar. Vou ao grupo de oração e acredito nos dons do Espírito. Sei que Jesus quer me fazer hoje, na minha juventude, um santo de calça jeans. Sou feliz e sou cristão."

Post inspirado no texto do meu amigo "Non Christians parties" - http://shalomfelipe.wordpress.com/2010/09/20/non-christian-parties/

15 de setembro de 2010

Beijar ou não beijar?

Queria partilhar um texto muito interessante do meu amigo Felipe Bezerra. Você pode conferir o texto na versão original em inglês no blog dele: http://shalomfelipe.wordpress.com/ .


"Eu estava conversando com alguns amigos alguns dias atrás e uma das minhas amigas contou de um "jogo" que ela sabia ou que viu pessoas jogando (talvez ela jogou), numa festa. Ela falou sobre um colar que você coloca em alguém que você quer beijar, se você aceitar o negócio é que você pode beijar a pessoa. O fato é que este, que recebeu o colar, beija duas pessoas: uma ao receber o colar e outra ao passar adiante. Ela falou sobre outros tipos de jogos de beijar que você acaba beijando todo mundo ao redor.

Não tenho nada contra essa pessoa (ela é uma menina joia) ou contra as pessoas que beijam alguém no mesmo dia que conhecem a outra pessoa. Eu só quero dizer que eu não faria isso e porquê eu não faria (talvez eu possa fazê-lo um dia, eu simplesmente nunca fiz isso, e eu não quero fazê-lo).

Meu corpo é parte de quem eu sou. Eu acredito que eu não sou só a minha alma ou só minha mente. Eu sou o meu corpo. Mesmo se eu acho que sou um pouco gordinho, que eu acho que preciso de uma dieta, ou fazer alguns exercícios a mais, meu corpo sou eu (ou é eu, dependendo de com quem vc faça a concordância verbal). Eu sou corpo e alma (e mente também se você quiser).

Que que isso tem a ver com eu beijar alguém?

Bem, é bastante simples. Quando eu beijo alguém eu estou dando a minha boca, uma parte muito sensível e vulnerável do meu corpo, para alguém e, claro, essa outra pessoa faz o mesmo para mim. O negócio é o seguinte: eu estou dando o meu corpo e, claro, estou dando a mim mesmo a alguém. Quando eu falo sobre coisas da minha alma para alguém eu não faço isso para alguém que acabei de conhecer, eu compartilho meus sentimentos com os meus amigos mais próximos. Por que eu deveria compartilhar o meu corpo com alguém que acabei de conhecer?

Durante a conversa eu disse: "Estou me sentindo um avô". Não estava defendendo o estilo de vida à moda antiga ou voltar para os velhos tempos, mas sou, neste caso, partidário dos amantes românticos. Eu acredito na amizade antes de namoro, eu acredito no beijo como uma forma de demonstrar amor, eu acredito no amor para sempre.

Quando eu estava escrevendo este post, vi um comercial na MTV, onde você envia uma mensagem de texto com o nome de que você está a fim pra saber se ele / ela beija bem. Esta é realmente a coisa mais importante (ou a primeira) a saber sobre uma pessoa por quem você se sente atraído? E os seus sonhos? Ou qualquer outro aspecto da vida de alguém? Não é importante saber quais são seus planos para o futuro? Ou o que é a coisa mais importante para ele / ela?

Bem, eu acho que você entendeu o que eu queria dizer. Eu acredito no amor."


Eu também acredito no amor, e você?

12 de setembro de 2010

As Pontes



Em qualquer travessia, elas ajudam a seguir. Unem abismos, encurtam distâncias e abrem caminhos. Tornam possíveis os laços e se entregam para que outros cheguem. Vivem a solidão dos extremos e o martírio da oferta. São essenciais na jornada, mas fáceis de serem esquecidas depois de atravessadas. Mesmo quando são grandes, sempre se fazem pequenas porque entendem a missão de serem apenas passagem. Não prendem nada a si.

As pontes que eu conheço não são somente as de concreto ou as madeira. São fortes em sua estrutura, mas têm nome e têm alma. Possibilitam a minha existência e me fizeram chegar até aqui. Ou melhor, me fazem ser quem eu sou. Elas sorriem e choram. Continuam sendo o que são. A maioria delas podem ser chamadas de "Ananias". E todas estavam no lugar exato e no tempo preciso.

Muitas se fizeram só para que eu passasse. Muitas caíram para suportar o meu peso e o peso dos meus pecados. Muitas me desafiaram a confiar e todas me fizeram ir mais longe. Deram-me segurança quando eu estava insegura e esticaram-se para que eu também crescesse. Arriscaram-se e lançaram alicerces nas alturas para que eu pudesse voar.

As pontes me levaram a Deus. Diminuíram para que Ele crescesse. Indicaram o caminho e também fizeram parte dele. Foram e são sinais claros de onde preciso chegar. Tornaram possível o encontro com o Eterno e deixaram tangível o que parecia impossível a mim.

Espero que esse pequeno texto seja também uma ponte que leve minha gratidão mais profunda a cada um que foi, querendo ou não, sabendo ou não, caminho para o que não passa e sinal visível daquilo que ainda verei. Obrigada.

7 de setembro de 2010

Minha Mãe...



Teus olhos estão voltados para Ele, e quando te olho, também começo a olhá-Lo. Teu coração é um com o Dele, quando te amo, também começo a amá-Lo. Teu silêncio é presença de amor. Tua fé é sinal de esperança. Tua vida é caminho para a Vida, ponte segura nas travessias indispensáveis. Estrela que anuncia a Aurora, reflexo da Luz na minha noite e na minha escuridão. Conheceria menos da ternura do Terno se o teu cuidado não pudesse sentir. Sentiria mais frio sem teu inflamado coração. Caminharia mais sozinha sem a tua proteção. No colo do Teu filho aprendi a te conhecer. Na Cruz, aprendi a te amar. Minha fé seria mais pobre sem a tua. Sou fraca, preciso da tua intercessão, sem ela, demoraria muito mais para me render. Não temo te amar tanto assim. Não temo acreditar na tua santidade. O Teu amor a Jesus não permite me afastar. Teu lugar na minha vida faz Cristo chegar ao dele. A delicadeza forte do teu amor e do teu sim não é ofuscada na minha história porque a tua história é a história do teu Filho. História que Ele escreveu por mim. Em tuas mãos, me confio. Mesmas mãos que seguraram forte o Filho de Deus. Ele confiou em ti, não devo fazer o mesmo? És auxílio, és modelo, és expressão da mais pura eleição. Teu manto que tantas vezes O cobriu, vem cobrir hoje meu coração. Tuas lágrimas me ensinam o consolo, tu que recebestes em teus braços Teu Filho morto, recebe-me também. Deixa-me ficar na tua casa e fica na minha. Quero contigo aprender a seguir. Quero contigo aprender a guardar. Quero contigo aprender a ficar de pé. Quero contigo viver minha vida, crescer na minha fé. No céu, reconhecerei teu sorriso e como tua filha, mais te amarei. Maria, minha Mãe, Mãe de Deus, Minha Senhora, Nossa Senhora, sou mais feliz porque nascestes e escolhestes o que também escolho para mim: Jesus.

Deus poderia ter nos salvado em Jesus sem a participação de Maria. Deus poderia ter nos amado sem Ela. Deus poderia ter nos dado Jesus através de outro ventre, de outro sim. Deus poderia ter escolhido outra forma para realizar a encarnação. Deus poderia ter sido mais direto, sem co-mediações. Deus poderia... Mas não o fez. Respeito quem pensa diferente, mas não poderia deixar de dizer quem Maria é para mim no dia em que a Igreja celebra seu nascimento.

5 de setembro de 2010

RELEMBRANDO...

Algumas pessoas que conheceram o blog agora, pediram para que eu postasse novamente o texto mais acessado e o que eu mais "gostei". Para mim, dois marcaram esse primeiro mês do "As Margaridas do Inverno". Escolhi para hoje o SIMPLESMENTE DELICADO (o mais acessado) que nos fará relembrar esse caminho que temos feito. Amanhã coloco o outro. Boa semana a todos! Com vocês:


SIMPLESMENTE DELICADO




Eu acredito que o amor é “mais forte do que a morte”, ele é poderoso e “nem as torrentes das grandes águas poderão apagá-lo”. Mas eu acredito que o amor, com toda a sua potência, é extremamente delicado.

O amor sempre pede passagem e só entra se for convidado. Ele não se importa em esperar até que você abra a porta. O amor se preocupa se você está bem e pergunta como foi o seu dia. O amor é sutil, se preocupa com os pequenos detalhes e sempre sabe como agir, pois apesar de ser constante, sabe lidar com os imprevistos.

O amor nunca incomoda, é respeitador ao extremo e arrisca tudo e o tempo todo para não ferir a sua liberdade. O amor sabe dar flores, levanta para você sentar e sempre faz com que todos se sintam confortáveis. Conhece os seus gostos e sabe a sua cor preferida.

Na sua delicadeza, o amor é sempre sincero. Corrige, “puxa as orelhas”, quer ver crescer. Não se importa com o que falarão dele, ele está unicamente interessado em você. Ele quer o seu bem, mas vai sempre saber ser pequeno e acolhedor quando descobrir o grande pecador. E não julga, está muito ocupado em amar.

O amor é prontidão, é bilhetinho de obrigado, é beijo de boa noite, é riso disfarçado, é ombro, é colo e é travesseiro com "cheirinho” de fronha lavada. É sabor de comida da nossa casa.O amor é a palavra certa, no momento certo e silêncio precioso no momento mais necessário. O amor só precisa olhar. Ele é segurança sem fazer nada e protege do frio com o cobertor da amizade.

O amor não prende, ele entende. Ele é exigente, mas não cobra. Ele é firme, mas surpreende com seu modo de nos vencer. Ele sempre, sempre, sempre vai até o fim. E permanece fiel mesmo traído, mesmo esquecido. Ele cuida quando precisa e permanece lá, mesmo quando todos vão embora. Ele é o último a sair e o primeiro a chegar. Ele apaga a luz, mas acende a esperança.

Não entendo muito do Amor, mas sei que sou amada assim.

A ESPERA DO AMOR

O amor espera. Espera sem pressa. O amor espera com confiança, “esperando contra toda esperança”. O amor espera no silêncio, na paciência, na crença de que tudo tem seu momento oportuno. O amor espera na tristeza e encontra na dor motivos para continuar a esperar. O amor espera o dia seguinte, a próxima semana e o próximo mês. O amor espera contando os dias e somando as saudades. O amor espera a primavera, mesmo se no inverno já chegou. O amor espera sentado no banco da fidelidade, na estação da liberdade. O amor espera com muita lealdade, olhando atento quem partiu. O amor espera sem deixar de sonhar. O amor espera sem deixar de ser amor. O amor espera o tempo do diferente. O amor espera quem ainda não chegou. O amor espera mesmo sem esperança. O amor espera mesmo sem lembrança. O amor espera o que viu e espera ainda mais o que não enxergou. O amor não teme esperar. O amor não teme a espera. O amor espera sem se entregar. O amor espera a aurora e não desperta sem o outro querer. O amor espera com o vento do contratempo e mesmo assim, não se deixa abater. O amor espera que passe e espera o que passou. O amor espera de olhos fechados. O amor espera o passo de quem se atrasou. O amor espera o tempo como o tempo espera o amor. O amor espera mesmo perdendo. O amor espera o sim e espera o não. O amor espera sem aprisionar, mas se prende decidindo esperar. O amor espera tudo sem cobrar nada. O amor espera para além dos muros. O amor espera até o fim da estrada.

3 de setembro de 2010

A ignorância faz parte da prova...

A ignorância faz parte da prova

O medo participa da entrega

E a alegria caminha com a dor

A confiança conhece o inesperado

Assim como o futuro conhece o que passou

Mas o que Deus nos tem reservado

“Nenhum olho viu”

Nenhum coração ousou sonhar

E nas idas e vindas da vida

Ouvimos a melodia da rotina

Mas dançamos conforme a música do Autor.