Social Icons

twitterfacebookShalomvaticanorss feedemail

28 de novembro de 2010

Feliz Espera


No coração do outono para alguns, quando as folhas já caíram e o vento ainda arrasta o que ficou, chega o tempo da espera. A esperança renasce para aquecer o frio que se instalou. Novos desejos, novos propósitos, novos começos. Ela vem preparando o coração, abrindo os espaços, desentulhando, chegando pra ficar. Esperança tão querida, tão sofrida, tão necessária. Esperança tão real que mantém viva a alma, que conforta o coração. Esperança que vai nos colocando no lugar. Esperança tão certa, advento de quem sempre vem.

É tempo de esperar... Feliz Espera para todos nós!

5 de novembro de 2010

Um Príncipe Encantado? Não, Um Homem de Deus.

Achei muito interessante o texto “The Prince Charming” ou O “Príncipe Encantado” que o Felipe Bezerra escreveu no seu blog. E recomendo que todos possam ler o texto dele, mesmo que seja com a ajuda de um tradutor on-line, porque esse post de hoje vem confirmar aquilo que ele escreveu, mas com uma visão feminina da história.
(Link: http://shalomfelipe.wordpress.com/2010/11/04/the-prince-charming/)

Também quero deixar claro que o objetivo desse texto não é destruir a memória dos nossos “doces sonhos de menina” e nem desmotivar quem assiste comédias românticas (Eu, particularmente, gosto demais delas). Mas gostaria de colocar uma visão mais real do que uma mulher cristã, chamada ao matrimônio, espera ou deveria esperar de alguém com quem deseja construir um futuro e se unir para sempre.

Um Homem de Deus

Uma paixão avassaladora, um amor inesquecível e um casamento dos sonhos, difícil é encontrar alguma mulher que não deseje isso. Difícil também é encontrar alguém que não queira viver uma “comédia romântica” que termina com aquele beijo na chuva ou com o “felizes para sempre”, afinal, em todos os horários e de todas as formas, o cinema e a TV insistem em promover o sonho do “Príncipe Encantado” e do “Conto de Fadas”. Muitas vezes, nós mesmos, alimentamos a idéia de um relacionamento perfeito, com alguém perfeito e que nos ame perfeitamente.

Mas amor de verdade, aquele para a vida inteira, no mundo da realidade, precisa mais do que belos olhos, um sorriso charmoso e flores no primeiro encontro. Precisa mais do que simplesmente abrir a porta do carro e lembrar-se das datas de aniversário de namoro. Gestos de delicadeza e atenção são importantes para alimentar um relacionamento, com certeza são, mas não são suficientes para mantê-lo.

Quando conhecemos o Grande Amor Das Nossas Vidas, Aquele que supera todas as nossas expectativas, que nos enche de cuidados, de atenção e ainda nos ama exatamente como precisamos ser amadas, o esperado “Príncipe” vira Sapo e aquilo que buscamos em um relacionamento muda. Deus transforma tudo! O matrimônio continua sendo quisto, mas não para que eu me realize nele, também, mas para que, primeiramente, eu faça o outro feliz e construa uma família santa. A inversão de valores é grande, mesmo que o romantismo ainda exista, e acho até importante que exista e resista até o fim.

De verdade? Mulheres cristãs que querem edificar famílias santas buscam muito mais um homem de Deus do que um personagem de novela. Queremos respeito muito mais do que charme e preferimos um coração temente a Deus a qualquer riqueza. Esperamos alguém em quem possamos confiar mais do que alguém que tenha um corpo sarado. Esperamos fidelidade e prometemos apoio incondicional. Queremos alguém que, apesar de suas fraquezas, lute! Do que alguém com máscara de perfeição. Aceitamos erros quando não somos quistas somente pela medida da nossa cintura. Somos capazes de um amor muito grande quando temos um relacionamento a Três. Ah! E sabemos que não encontraremos um esposo que já seja santo (não é, mulheres?), mas buscamos um esposo que queira muito ser. Preferimos construir do que encontrar pronto. Mulheres de Deus não temem a obra inacabada, temem ter que terminá-la sozinha.

Realmente, precisamos pedir a Deus constantemente e com muita fé, a graça de aprendermos amar o outro como Ele nos ama. Para homens e mulheres, esse sempre vai ser o grande desafio e, ao mesmo tempo, a medida certa para o verdadeiro “Felizes para Sempre”.

2 de novembro de 2010

"Lidar consigo mesmo é trabalho de artesão"



De Coração A Coração
(Suely Façanha)

As maiores e duras quedas
Uma grande e fiel decisão
Só podem partir de um lugar
Vem do coração...

Renúncia, dor e alegria
Surpresa, perdão, euforia
Só podem partir de um lugar
Vem do coração...


Lidar consigo mesmo
É trabalho de artesão
Fio a fio e leva tempo
Pra dominar o coração


Capaz de sorrir, capaz de odiar
Destruir e recomeçar, recomeçar
O coração foi feito somente pra amar
Capaz de acolher, capaz de chorar
Se perder e reconciliar,reconciliar
O coração foi feito somente pra amar

Mais lindo encontro não há
Deus no coração de minh'alma
A nada se comparará
Esse encontro de coração a coração com Deus


Quando Deus me criou, Ele já sabia cada detalhe do meu ser. Já conhecia minhas entranhas, meus gostos e meus desgostos. Já sabia o que me faria sorrir e o que me faria chorar. Já sabia lidar com a minha fragilidade e já sabia o que me causaria medo. Conhecia meus traços quando eu ainda era um esboço, já dizia o salmista.

A questão é que eu não sabia. Não tinha meu manual de instruções e não sabia o que estava dentro do meu coração. E mesmo tendo percorrido longas e dolorosas léguas de autoconhecimento, ainda não sei. Muitas vezes, ainda sou estranha a mim mesma. Ainda me surpreendo com minhas reações e ainda temo minha fragilidade. Ainda temo meu temperamento forte e meus medos mais escondidos.

Mas eu aprendi, ao longo da caminhada, que “lidar consigo mesmo é trabalho de artesão”. Porque eu quero ver a obra pronta, mas Deus me pede paciência. Quero que Deus me refaça de uma vez, e Ele quer que eu acolha o que Ele fez. Quero recomeçar do zero, Ele quer que eu continue no caminho. Peço a Ele força, e Ele me pede esperança. Penso em desistir, Ele confia mais. Descubro a miséria, Ele investe na beleza. Canso-me de mim mesmo, Ele permanece incansável. Peço um novo coração, Ele transforma o que já tenho. Peço que Ele faça rápido, Ele me ensina a apreciar. Quando só vejo pedra, Ele lapida o diamante. E assim, “fio a fio” Ele costura quem eu sou... Claro, “leva tempo” e ainda não acabou.

Só quem me fez pode me ensinar a lidar com o que eu sou. Só Ele me fará “dominar o coração”. E não falo somente dos afetos que existem nesse coração, que já dão muito trabalho, diga-se de passagem. Mas falo do coração como sede das minhas decisões e escolhas. Só o artista pode transmitir sua arte. E nesse caminho de descoberta vou até o final da vida. E vou, não de qualquer jeito, mas me espantando com o poder do meu Artista.