Social Icons

twitterfacebookShalomvaticanorss feedemail

20 de agosto de 2013

O Papa me visitou!

Recebemos uma visita muito importante. Foram poucos dias, mas houve tempo suficiente para relembrarmos algumas verdades eternas. Tamanha delicadeza de alguém que pede licença para entrar no coração, que bate à porta e se faz um conosco! Janelas abertas do carro, sorriso sincero no rosto, inúmeros gestos de nobreza e simpatia que encheram de esperança cristãos ou não. A simplicidade e a humildade de um homem que entendeu a sua missão e explicou-a ao mundo inteiro sem precisar de palavras. A paz de uma alma Mariana que acolheu até quem não o acolhe longe dos holofotes. A surpresa de um Papa que se deixa tocar e que abraça sem receio, que deseja entrar de casa em casa, tomando um cafezinho ou mesmo um chimarrão. E ele, de fato, entrou. Sentou-se à mesa, fez com que todos colocassem mais água no feijão, que mudassem seus hábitos e deixassem de lado a novela para viver a vida real que com Cristo é mais interessante e muito mais feliz. Ele fez com que a Cidade Maravilhosa relembrasse de quem são os braços abertos que a esculpiu.  Ele uniu povos, atraiu jovens de todas as nações e fez isso porque não trouxe ouro ou prata, mas o maior tesouro que um homem pode ter: Jesus Cristo. No auge dos seus 76 anos, deu um novo nome à juventude e firme, foi até o fim, subindo no avião, segurando a sua pequena mala de mão. Ele mostrou o que é coerência e que a Igreja é viva, é jovem e é alegre. Ele fez com que todos olhassem com outros olhos para os jovens: protagonistas de um mundo melhor. Botou fé, botou esperança e botou amor na vida de mais de 3 milhões de pessoas. Tenho certeza de que sua presença tocou quem estava próximo e quem estava longe. Tenho certeza que nossa juventude não será mais a mesma porque nela foi reascendido o desejo de santidade, a saudade do céu e a certeza de que tudo vale a pena por Deus. A certeza de que nem o frio, nem a chuva e nem as lutas são maiores do que o Amor de um Deus próximo, amigo e brasileiro, como sugeriu nosso Pastor.  Muitos foram ao Rio como discípulos e saíram como missionários, disse o Papa, porque a fé não se pode guardar, ela nos faz sair, nos faz ir ao encontro de quem ainda não descobriu uma razão forte e real para viver. Obrigada Papa Francisco! Sua presença me encheu de gratidão por ser católica e por ter escolhido a quem me escolheu primeiro. Obrigada Papa Francisco, você me emocionou, me fez chorar de alegria, me fez sorrir e me fez perceber que o maior testemunho cristão que pode ser dado está escondido na simplicidade de uma vida doada e de um coração humilde. Francisco, você já está reconstruindo nossa Igreja. Obrigada! Até breve, com muitas saudades!